ABOUT ME

 bitches in dick Aprendi também que por mais que você queira muito alguém, ninguém vale tanto à pena a ponto de você deixar de se querer. ;)


Keep calm and FUCK YOU.
contador de acesso
"Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Fui ser feliz, e não volto!"

http://ourdistance.tumblr.com/post/4161400004

ourdistance:

Me mande mentalmente coisas boas. Estou tendo uns dias difíceis — mas nada, nada de grave. Dias escuros sem sorrisos, sem risadas de verdade. Dias tristes, vontade de fazer nada, só dormir. Dormir porque o mundo dos sonhos é melhor, porque meus desejos valem de algo, dormir porque não há tormentos enquanto sonho, e eu posso tornar tudo realidade. Quando acordo, vejo que meus sonhos não passam disso, sonhos; e é assim que cada dia começa: desejando que não tivesse começado, desejando viver no mundo dos sonhos, ou transformar meu mundo real num lugar que eu possa viver, não sobreviver.



2 notes | Reblog | 3 years ago

(Source: felizes-parasempre)



6,579 notes | Reblog | 3 years ago
verbalizada:

Eu vesti minha armadura antes de você aparecer porque não subestimei o medo de perder-me novamente. Finalmente aprendi com os erros que tenho de ficar perto das pessoas que me fazem bem, e como não é o seu caso, digo-lhe Adeus e descarto-lhe da minha vida. Sabe, esse nosso amor bandido nunca nos levou à nada: você me roubava o amor e eu tentava prendê-lo a mim, mas as algemas e súplicas não faziam nada além de serem um total desperdício. Agora decidi: vou me proteger mantendo distância do seu semblante porque seu sorriso galanteador derruba meus castelos de granito e desfaz minhas bombas nucleares. Então chega de provocações, incertezas e apelos, de você para mim. Chega dessa vida contrária em que se vê furacão em brisa mansa e em que o amor é tão injusto quanto o ódio. Porque nós, que sempre fomos a favor da liberdade, estamos nos transformamos em nossas próprias prisões, e de contraditória já basta a vida… Tão piegas e clichê o que digo, eu sei; mas é inevitável e eu sempre começo voltando atrás para procurar-lhe em becos e ruas sem saída. Só depois pergunto-me: oras, onde é que foi parar aquela que não entendia a urdidura com que o amor se mantinha e que berrava nos ouvidos de quem quisesse ouvir que amar era uma blasfêmia? Onde foi parar a armadura que jurei vestir? Sei que não estou fazendo jus as minhas promessas (já que continuo clamando por seus beijos e carícias), mas na prática é mais difícil do que nas figuras de linguagens. Você - eu já deveria saber -, também não faz questão de ajudar; não satisfeito por saber que enquanto finjo que o que quero é só distância, desejo seu amor e presença, me tortura com juras vazias e abraços falsos. Agora vejo que eu deveria ter decorado a ideologia de um amante bandido – ou só bandido e falso amante: provocar decepções e colecionar amores. Porque quero a tua boca colada na minha em um sussurro mudo de amor conjunto, mas tudo o que você me concede é uma pancada no meu coração. Eu quero o coração, a pedra e a canção silente da alma nossa ao mar de amar que é esse lirismo que vivemos - que vivíamos. O que eu quero é a tua presença em trezentos e sessenta e sete dia de um ano que sequer dura tanto e uma lua que brilhe ao crepúsculo porque simplesmente convém a ela fazer da nossa noite uma festa. Eu quero o olhar poético de quem ama sobre meu corpo e o toque suave de um pintor cego. E, mais do que tudo, eu quero me desprender desse amor que vive em mim e implora por você…
(verbalizada) e (paradoxoambulante)

verbalizada:

Eu vesti minha armadura antes de você aparecer porque não subestimei o medo de perder-me novamente. Finalmente aprendi com os erros que tenho de ficar perto das pessoas que me fazem bem, e como não é o seu caso, digo-lhe Adeus e descarto-lhe da minha vida. Sabe, esse nosso amor bandido nunca nos levou à nada: você me roubava o amor e eu tentava prendê-lo a mim, mas as algemas e súplicas não faziam nada além de serem um total desperdício. Agora decidi: vou me proteger mantendo distância do seu semblante porque seu sorriso galanteador derruba meus castelos de granito e desfaz minhas bombas nucleares. Então chega de provocações, incertezas e apelos, de você para mim. Chega dessa vida contrária em que se vê furacão em brisa mansa e em que o amor é tão injusto quanto o ódio. Porque nós, que sempre fomos a favor da liberdade, estamos nos transformamos em nossas próprias prisões, e de contraditória já basta a vida… Tão piegas e clichê o que digo, eu sei; mas é inevitável e eu sempre começo voltando atrás para procurar-lhe em becos e ruas sem saída. Só depois pergunto-me: oras, onde é que foi parar aquela que não entendia a urdidura com que o amor se mantinha e que berrava nos ouvidos de quem quisesse ouvir que amar era uma blasfêmia? Onde foi parar a armadura que jurei vestir? Sei que não estou fazendo jus as minhas promessas (já que continuo clamando por seus beijos e carícias), mas na prática é mais difícil do que nas figuras de linguagens. Você - eu já deveria saber -, também não faz questão de ajudar; não satisfeito por saber que enquanto finjo que o que quero é só distância, desejo seu amor e presença, me tortura com juras vazias e abraços falsos. Agora vejo que eu deveria ter decorado a ideologia de um amante bandido – ou só bandido e falso amante: provocar decepções e colecionar amores. Porque quero a tua boca colada na minha em um sussurro mudo de amor conjunto, mas tudo o que você me concede é uma pancada no meu coração. Eu quero o coração, a pedra e a canção silente da alma nossa ao mar de amar que é esse lirismo que vivemos - que vivíamos. O que eu quero é a tua presença em trezentos e sessenta e sete dia de um ano que sequer dura tanto e uma lua que brilhe ao crepúsculo porque simplesmente convém a ela fazer da nossa noite uma festa. Eu quero o olhar poético de quem ama sobre meu corpo e o toque suave de um pintor cego. E, mais do que tudo, eu quero me desprender desse amor que vive em mim e implora por você…

(verbalizada) e (paradoxoambulante)



87 notes | Reblog | 3 years ago

Aprenda uma coisa: Se a vida tá te batendo tanto, é porque tu aguenta, é porque tu é forte. 
Caio Fernando Abreu

Aprenda uma coisa: Se a vida tá te batendo tanto, é porque tu aguenta, é porque tu é forte. 

Caio Fernando Abreu



16,342 notes | Reblog | 3 years ago

(Source: bunniesontherun)



3,356 notes | Reblog | 3 years ago

4 notes | Reblog | 3 years ago

versossoltos:

‎”Quando eu acreditei que seria sincero, acabei me deparando com o que costumo chamar de “decepção” ou “tapa na cara”. Sabe aquela escorregada que você precisa dar pra aprender a levantar? Então, é disso que estou falando.”

- Caio Fernando Abreu.


222 notes | Reblog | 3 years ago

Versos Soltos...: “Levanta dessa cama garota. Anda! Sei que tá doendo, mas levanta....

versossoltos:

“Levanta dessa cama garota. Anda! Sei que tá doendo, mas levanta. Coloca uma roupa. Passa a maquiagem. Arruma esse cabelo. Ajeita a armadura. Segura o coração. Sai por aquela porta. Enfrenta o vento. Sorri pro Sol. Segura o coração. Olha pra ele. Passa reto. Não caia. Não caia. Engole o choro. Fingi de morta quando ele falar com você. Seja fria. Continue andando. Enfrente seus problemas de cara. Reaja. Vai. Tá pensando que é só você que sofre? Tá enganada. Anda menina. Para de ser infantil. A culpa não é de ninguém….Se apaixonou agora segura. Anda. Seja forte. Seja feliz. Seja uma mulher.”



423 notes | Reblog | 3 years ago

versossoltos:

“Eu preciso muito deixar acontecer o momento da renovação, trocar de pele, mudar de cor. Tenho sentido necessidades do novo, não importa o quê, mais que seja novo, nem que sejam os problemas. Preciso deixar a casa vazia para receber a nova mobília. Fazer a faxina da mente, da alma, do corpo e do coração. Demolir as ruínas e construir qualquer coisa nova, quem sabe um castelo.”

- Caio Fernando Abreu.


415 notes | Reblog | 3 years ago

681 notes | Reblog | 3 years ago

Não sei porque sou do jeito que sou. Alguma coisa me faz odiar tudo. Skins

Não sei porque sou do jeito que sou. Alguma coisa me faz odiar tudo. Skins

(Source: diiegovelazquez)



5 notes | Reblog | 3 years ago

73 notes | Reblog | 3 years ago

(Source: the-masochistic)



9,257 notes | Reblog | 3 years ago

101 notes | Reblog | 3 years ago

2 notes | Reblog | 3 years ago
1 2 3 4 5 »
Theme By: Real Dobby